Institucional Colunas Projetos Promoções Fidelização Fale Conosco

Acontece

Agenda

Empresas e Serviços

Lista de Profissionais

Dicas e Sugestões

Eventos

Novidades

Links

Tabela de Preço

 

Artigos

Colunistas

Notícias

Parceiros

Fórum
 

Galeria de Fotos

Vídeos

Downloads

Imprensa

 






Colunas

Postado por:Saritta Gonçalves
-

Postado por:Karina Christofaro Belmar
-

Postado por:Daniel Bogas
-

Postado por:Carolina Villaça
-

Postado por:Peloggia
-
Compartilhe:
Profissional: Peloggia

24/06/2015 - Preservação e Conservação dos Solos

O ano de 2015 foi decretado como sendo a Ano Internacional dos Solos pela ONU (Organização das Nações Unidas), dado a importância do solo para a preservação do meio ambiente. A degradação dos solos em todo o planeta tem que ser contida, pois as perdas de áreas de plantio tende a aumentarem se não preservarmos o ambiente construído para a geração de alimentos. Pesquisas realizadas no BRASIL comprovam que somos uma referência para solos tropicais na América Latina e África.

 
Mesmo assim temos dificuldades em gestão ambiental no que tange a aplicabilidade de tecnologia nos processos de tomada de decisão para o uso correto dos solos no Brasil, dado a falta de profissionais competentes e com nível acadêmico e excelência para desenvolvimento nesse setor importante para nossa nação, onde as informações sobre a temática, considerando o solo como o meio onde acontecem as tragédias sociais ou ambientais, não tem um aprofundamento necessário para atingir a população diretamente envolvida.
 
Daí a importância da conservação dos solos, na agricultura ou pecuária. Para se efetivar as práticas para conservação, estas devem ser aplicadas para promover o uso sustentável do solo para o plantio. A Erosão, a Compactação e o aumento na Salinidade do solo são os maiores problemas correlacionados ao manejo inadequado e irão aparecer relações diretas com a falta de alimentos em um futuro não muito distante, sucedendo a um profundo desequilíbrio do sistema produtivo, se não forem postas em prática imediatamente. 
 
O planeta Terra tem hoje uma população estimada em torno 7 bilhões de habitantes. Isso faz com que obrigatóriamente haja a necessidade de uma disponibilidade de pelo menos 1 bilhão de hectares de área agricultável. As áreas em que o manejo inadequado sofre uma redução significativa, o seu potencial de produção é afetado drasticamente. Temos que trabalhar de ontem em diante, com muita humanitude na renovação e aprimoramento das técnicas produtivas. A agricultura deu um salto enorme quando foi evidenciado um modo prático de adubar as culturas com os produtos naturalmente processados.
 
Não obstante, hoje o problema é o aumento da salinidade do solo provocado pelo descontrole da adubação. Uma análise em laboratório especializado permite verificar as características físico-químicas do solo em função das culturas e orientar na aplicação da quantidade ótima de fertilizante e aumentar a produtividade do plantio. A conservação e a proteção das matas ciliares, nascentes, córregos, ribeirões, rios, lagos deve ser efetivada pelos gestores ambientais academicamente formados e com competência para orientar e coibir ações de desproteção do bioma natural, que é fundamental para as culturas de um modo geral. Uma das técnicas aplicadas à preservação e conservação do solo é a do terraceamento.
 
Terraceamento
 
Esta técnica consiste em realizar a produção rural, ordenando a plantação em linhas que segue as diferenças de altitude do solo. Essa técnica é mais adequada para terrenos com declividades (morros) e contribui para a eliminação do processo de erosão
 
Outrossim, contribui para a retenção de água na área cultivada, pois, dessa forma diminui a velocidade hidráulica, permitindo uma maior infiltração da água. Estimativas recentes apresentam que as perdas anuais das características do solo no território brasileiro atingem valores da ordem de 400 milhões de toneladas de terra e cerca de oito milhões de toneladas de nitrogênio, fósforo e potássio, nutrientes fornecidos as lavouras para aumento de produção.
 
A economia sofre um impacto direto, em razão do aumento nos custos de produção dos alimentos, uma vez que os nutrientes perdidos precisam ser repostos ao solo para manutenção da produtividade das lavouras, e nos recursos naturais pela contaminação dos corpos d´água, influenciando os organismos que neles vivem.
 
Prof. Dr Adilson PELOGGIA
Especialista em Ciências do Ambiente
peloggia.adilson@gmail.com



Últimas Colunas: